Blog NA5

Métricas para sites obterem resultados

Métricas para sites obterem resultados

É possível medir tanta coisa que o desafio está em se concentrar nas métricas para sites, mais relevantes para o seu negócio ou para o seu cliente.

Publicado em por

O marketing nunca viveu dias melhores. Até há pouco tempo, o retorno sobre o investimento sempre tinha algo de intangível, mas com a fartura dos dados hoje produzidos na internet, nunca foi tão fácil entender o comportamento dos clientes e produzir campanhas cada vez melhores. Neste artigo vamos mostrar como transformar esses dados em informações valiosas para sua estratégia de marketing. Quer saber como? Então confira:

Qual a importância dos relatórios?

Ferramentas como o Google Analytics, o Ads Manager, do Facebook, e o HubSpot captam milhares de dados e, a partir deles, podem produzir relatórios automáticos muito úteis. A frequência desses relatórios e o que eles contêm é uma combinação que varia de acordo com a estratégia de marketing e o objetivo das empresas, fazendo parte integral da gestão de relacionamento com o cliente. É extremamente importante que cliente e marketing definam, em conjunto, o que é para ser contabilizado como métrica-chave.

Um exemplo: se você for agora mesmo ao Facebook para criar um anúncio, ele perguntará qual tipo de resultado você deseja — entre turbinar a audiência de posts, conseguir mais fãs para sua página, enviar tráfego para o site e fazer com que pessoas aproveitem uma oferta, por exemplo. Assim, como tudo em administração, os relatórios devem começar pela definição de um objetivo claro.

Quais métricas podem ser obtidas?

É possível medir tanta coisa que o desafio está em se concentrar nas métricas para sites mais relevantes para o seu negócio ou para o seu cliente. Então vamos dar uma olhada nas principais métricas?

  • Quantidade de visitas

Diretamente relacionado ao tráfego, à audiência da página, é o principal indicador da popularidade de qualquer site.

  • Popularidade do conteúdo

Analisa quais são os conteúdos mais acessados e compartilhados pelos visitantes, se são sobre um tópico específico ou de um determinado autor, por exemplo.

  • Taxa de rejeição

Também chamada de bounce rate, indica a porcentagem de usuários que deixa a página sem promover nenhum tipo de interação — se sua home page tem taxa de rejeição de 60%, por exemplo, significa que 6 em cada 10 usuários a visualizam, mas fecham a aba do navegador sem clicar em nada.

  • Número de conversões

Aponta o número de vezes em que o objetivo do site — pode ser o preenchimento de um cadastro, o download de um e-book, o clique em um certo botão ou a venda de um produto, por exemplo — é efetivamente concluído.

  • Custo por aquisição

Especifica o preço do investimento por ação — como o clique em um anúncio, por exemplo. É usado pelo Google AdWords. Quem paga mais* , provavelmente terá mais cliques e vice-versa.

*O Google Adwords leva em consideração diversas variáveis para posicionar o seu anúncio, como qualidade do conteúdo do site para a "palavra-chave", tempo de carregamento do site, SEO e também o valor que esta disposto a pagar por um click, entre outras variáveis.

  • Palavras-chave

Mostra o que as pessoas estão digitando no campo de pesquisa do Google para obter seu site como uma das páginas recomendadas.

Como o cruzamento de dados pode ajudar?

Todos esses dados podem ser cruzados uns contra os outros para testar hipóteses, descobrir mais sobre seus clientes e os hábitos de sua clientela e, assim, sugerir novas estratégias.

Um exemplo? O Hubspot mostra, em gráficos coloridos muito fáceis de entender, os diferentes funis de marketing de acordo com a origem dos clientes. É possível ver, por exemplo, se a maior parte do tráfego vem da página no Facebook, mas a maior parte das vendas vem de quem buscou certas palavras-chave no Google. Será que a solução está nas páginas? Talvez o usuário do Google chegue rapidamente às páginas mais populares e que mais convertem, enquanto no Facebook o conteúdo até tem bom engajamento, mas não vende. A análise, obviamente, varia, mas os dados estão sempre por lá para mostrar o atalho!

Como achar o caminho?

Diferentes serviços, incluindo o Google Analytics, podem mostrar a visualização de navegação para entender como as pessoas realmente usam seu site — o que leem, quanto tempo ficam em cada página, onde clicam. Você pode cruzar esses dados de navegação com os de origem dos usuários e entender como cada tipo de cliente navega. Dessa maneira, identificando o caminho que mais converte, você pode tentar reproduzir a experiência para todo mundo.

E o Inbound Marketing?

O inbound marketing é a melhor estratégia de longo prazo para se usar as métricas para sites mais precisas e eficientes do mercado. É por meio dele que se produzem, a cada dia, páginas e conteúdos mais atraentes e interessantes, que fidelizam consumidores e que constroem reputação que efetivamente resulta em conversões. Anúncios podem atrair mais gente e tráfego, mas, como em uma loja, essa nova clientela não ficará por muito tempo se o conteúdo não for realmente bom. Quer saber tudo sobre Inbound Marketing, veja no nosso site.

E então, qual métrica você mais gostaria de aumentar a curto prazo para o seu site? Ficou ainda alguma dúvida ou tem uma sugestão a fazer? Comente aqui e compartilhe suas impressões e dicas conosco!

Clique aqui para baixar o Guia Avançado de Vendas com WhatsApp e HubSpot.

Este é o nosso segredo

Nós revelamos os segredos que inspiram heads de grandes empresas do mundo.